terça-feira, 2 de outubro de 2012

Vênus de Milo


Datada de 100-190 a.C, feita em mármore, tem altura de 198 cm (ou 202 cm, como algumas fontes citam). Foi encontrada durante o século II a.C., na ilha de Milos, no Mar Egeu.

A Vênus de Milo deve esse nome ao fato de ter sido descoberta na ilha grega de Milos, em 1820. A peça, requisitada pelas autoridades turcas, acabou vendida e depois doada ao Museu do Louvre, em Paris, onde pode ser vista atualmente.

A obra contrasta a delicadeza da forma feminina com a textura pesada do manto. 
Já teve braços, mas não se sabe ao certo em que posição.



Representa Afrodite, a deusa helênica do amor e da beleza, conhecida pelos romanos como Vênus
Segundo o mito, Páris, de Tróia, premiara Vênus com uma maça de ouro, identificando-a como a mulher mais  bela do mundo. 


É composta basicamente de dois grandes segmentos de mármore, com várias outras partes menores trabalhadas em separado e ligadas entre si por grampos de ferro, uma técnica comum entre os gregos antigos. 

A deusa usava jóias de metal - braçadeira, brincos e tiara - presumidas pela existência de orifícios de fixação. 



"Onde estão os braços de Vènus de Milo?" 

O pesquisador Gregory Curtis, autor do livro Sem Braços: a História da Vênus de Milo, passou dois anos entre Paris e a ilha de Milo, na Grécia, em busca de todos os detalhes do paradeiro dos braços da estátua. "Um dos primeiros documentos que li dizia que os braços teriam sido arrancados durante uma batalha entre os moradores locais e marinheiros franceses", conta Curtis. "Não demorou muito para que descobrisse que as batalhas eram pura fantasia."


Para ele, a Vênus já estava sem braços quando foi encontrada. A explicação mais provável diz que um grupo de marinheiros franceses, cujo navio estava atracado no porto de Milo, uniu-se a camponeses locais em busca de restos arqueológicos nas ruínas de uma civilização antiga. Foi então que o camponês Yorgos desenterrou a estátua, separada em dois pedaços na altura da cintura, e já sem os braços

Um dos marinheiros, Olivier Voutier, percebeu que estava diante de algo excepcional e convenceu seu superior, o marquês de Rivière, a comprá-la. Depois de algumas idas e vindas, uma das esculturas mais famosas de todos os tempos foi negociada pelo valor de meia dúzia de cabras. A Vênus embarcou, aos pedaços, para Paris e foi remontada pelos restauradores do Museu do Louvre.


Segundo o "Concise Oxford Dictionary of Art and Artists" é referida como a mais conhecida de todas as estátuas antigas e Gregory Curtis, escrevendo para o "Smithsonian Magazine", a descreveu como a segunda mais famosa obra de arte de todo o mundo, ficando atrás somente da Mona Lisa. É uma das obras que mais possuem releituras e apropriações no mundo das artes, por artistas como Salvador Dali e Magritte


No Brasil, é possível comprar réplicas da Vênus de Milo (como esta acima) na loja Quinta dell´Arte. Clique na img abaixo.


Trabalho com massa acrílica, tinta aguada acrílica, lápis sanguínea e cola colorida feita por mim, tamanho A2. 



Referências e fontes:
http://pt.shvoong.com/books/1921135-v%C3%AAnus-milo/#ixzz28CBc6RKa
http://www.sescsp.org.br/sesc/galeria/20mundo/obra20.htm
http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/14226/hoje+na+historia+1830+-+venus+de+milo+e+encontrada+na+grecia.shtml
http://penelope.uchicago.edu/~grout/encyclopaedia_romana/miscellanea/venus/venusdemilo.html
http://www.louvre.fr/en/oeuvre-notices/aphrodite-known-venus-de-milo

Nenhum comentário:

LinkWithin

Posts relacionados Posts with Thumbnails