sexta-feira, 5 de junho de 2009

DADAÍSMO



Fundado em Zurique, em 1916, por um grupo de refugiados da Primeira Guerra Mundial, o movimento Dadá mesmo que muitas vezes sem sentido, tinha um objetivo de não-sem-sentido: protestar contra a loucura da guerra. Dez milhões de pessoas foram massacradas ou ficaram inválidas. Não admira que os dadaístas achassem que não podiam mais confiar na razão e na ordem estabelecida. Sua alternativa então foi subverter toda autoridade e cultivar o absurdo.



Marcel Duchamp.



Embora a palavra dada em francês signifique cavalo de brinquedo, esta foi escolhida aleatoriamente, abrindo-se uma página de um dicionário e inserindo-se um estilete sobre a mesma. Isso foi feito para simbolizar o caráter anti-racional e nonsense do movimento, claramente contrário à Primeira Guerra Mundial. Entre os principais nomes do movimento estão, na Alemanha, Raoul Haussmann, Johannes Baader, John Heartfield, Kurt Schwitters, Max Ernst. Nos EUA, encontrava-se Francis Picabia, Marcel Duchamp (oriundo da França) e Man Ray.



Man Ray.



O movimento era direcionado contra as ideias da burguesia que tratava de vida e arte. Esquecendo das noções de lógica, moralidade ou convenção, os Dadaístas buscaram criar uma anti-arte provocativa e a rejeitar qualquer sistema estético.


Colagem de Hannah Höch


As formas mais usadas de suas expressões artísticas foram a formação de novas construções – figuras, esculturas ou poemas proclamados em voz alta – e principalmente montagem, assemblage, e colagem.


L.H.O.O.Q. - Marcel Duchamp. Duchamp fez um bigode com caneta em uma reprodução da Monalisa. As letras do título desta obra ditas em francês traduzidos para o português, significam: "Ela tem o rabo quente".



O Dadaísmo é caracterizado pela oposição por qualquer tipo de equilíbrio, pela combinação de pessimismo irônico e ingenuidade radical, pelo ceticismo absoluto e improvisação. Enfatizou o ilógico e o absurdo.


Ready-made de Duchamp.


Entretanto, apesar da aparente falta de sentido, o movimento protestava contra a loucura da guerra. Assim, sua principal estratégia era mesmo denunciar e escandalizar. Procurava chocar um público mais ligado a valores tradicionais e libertar a imaginação via destruição das noções artísticas convencionais.


A Fonte, ou Mictório, de Marcel Duchamp.


Acredita-se, ainda, que seu pessimismo venha de uma reação de desilusão causada pela Primeira Guerra Mundial. A princípio, o movimento não envolveu uma estética específica, mas talvez as formas principais da expressão dadaísta tenham sido o poema aleatório e o ready-made criado por Marcel Duchamp. Sua tendência extravagante e baseada no acaso serviu de base para o surgimento de inúmeros outros movimentos artísticos do século XX, entre eles o Surrealismo, a Arte Conceitual, a Pop Art e o Expressionismo Abstrato.



Fotografia de Man Ray.

O violino de Ingres, Man Ray.



Referências:

ROSSI, Juliana. A colagem como recurso poiético no ensino da arte. Trabalho de Conclusão de Ensino, Joinville: UNIVILLE, 2006.

ELGER, Dietmar. Dadaism. Germany: Taschen, 2004.

Todas as fotografias foram retiradas de sites da Internet.

4 comentários:

Anônimo disse...

Oi.
tem um livro de história em quadrinhos que tem a Zurique de 1917 e os dadaístas como pano de fundo. O nome do livro é "Vallat: uma investigação dadaísta", saiu pela Editora Conrad.
Maikon K
www.vivonacidade.blogspot.com

lana disse...

olá...esse conteudo é mto rico em relação as obras dadaístas...e tambem em relação às artes plásticas...mto interessante...parabéns!!!!

ELOÁ disse...

BOA NOITE...TEXTO OTIMO DO DAIDAISMO...

Leandro Silva disse...

Perfeito

LinkWithin

Posts relacionados Posts with Thumbnails