sexta-feira, 6 de junho de 2008

NEOCLÁSSICO



(1780 a 1820)


Nas duas últimas décadas do século XVIII e nas três primeiras do século XIX, uma nova tendência estética predominou nas criações dos artistas europeus. Trata-se do Neoclassicismo (neo = novo), que expressou os valores próprios de uma nova e fortalecida burguesia, que assumiu a direção da Sociedade européia após a Revolução Francesa e principalmente com o Império de Napoleão.





Principais características:

* retorno ao passado, pela imitação dos modelos antigos greco-latinos – volta ao Classicismo;

* reação contra o estilo Rococó;
* academicismo nos temas e nas técnicas, isto é, sujeição aos modelos e às regras ensinadas nas escolas ou academias de belas-artes;
* arte entendida como imitação da natureza, num verdadeiro culto à teoria de Aristóteles; f
ilósofos pregavam razão e lógica.



ARQUITETURA

Tanto nas construções civis quanto nas religiosas, a arquitetura neoclássica seguiu o modelo dos templos greco-romanos ou o das edificações do Renascimento italiano.


Exemplos dessa arquitetura são a igreja de Santa Genoveva, transformada depois no Panteão Nacional, em Paris, e a Porta do Brandemburgo, em Berlim.




PINTURA

A
pintura desse período foi inspirada principalmente na escultura clássica grega e na pintura renascentista italiana, sobretudo em Rafael, mestre inegável do equilíbrio da composição.
Figuras em primeiro plano sem profundidade e pinceladas suaves.


Enfatizavam a linha e o desenho, que tinha apelo para o intelecto, ao invés da cor, que excitava os sentidos. Composições sólidas, pinturas polidas.

Desenho, formas claras e exatas da beleza idealizada. Acuidade fotográfica.





Características da pintura:
* Formalismo na composição, refletindo racionalismo dominante.
* Exatidão nos contornos
* Harmonia do colorido

Os maiores representantes da pintura neoclássica são, sem dúvida:


Jacques-Louis David


Foi considerado o pintor da Revolução Francesa, mais tarde, tornou-se o pintor oficial do Império de Napoleão.



Durante o governo de Napoleão, registrou fatos históricos ligados à vida do imperador. Suas obras geralmente expressam um vibrante realismo, mas algumas delas exprimem fortes emoções.






Interesse na antiguidade, moralidade e senso de ordem. Arte séria, ilustrava temas da história antiga e mitologia, ao invés das cenas de festas rococó.




Princípio substituiu o prazer e a pintura deu apoio moral à mensagem moral de patriotismo.


David – Marat. Lembra Pietá – santo.



Depois mudou seu estilo para o de retratar a nobreza das conquistas de Napoleão.





Jean Auguste Dominique Ingres




Sua obra abrange, além de composições mitológicas e literárias, nus, retratos e paisagens, mas a crítica moderna vê nos retratos e nus o seu trabalho mais admirável.










Ingres soube registrar a fisionomia da classe burguesa do seu tempo, principalmente no gosto pelo poder e na sua confiança na individualidade.




Ingres x Delacroix (Romantismo) – razão X emoção. Pintura lisa como uma "casca de cebola".





Fontes e referências:

STRICKLAND, Carol. Arte comentada: da pré-história ao pós-moderno. Trad. Angela Lobo de Andrade. Rio de Janeiro: Ediouro, 2003.

http://www.historiadaarte.com.br/neoclassico.html

5 comentários:

Débora Rossi disse...

Legal Juli :)
Pena que eu não entendo nada disso :p
auhhhauhhauh

Vitor Teodoro disse...

eu presciso falar com vcs deste blog
eu parece muito ocm uma pessoa da pintura e kero ter mais detalhes dela
meu MSN eh vithor_theodoro@hotmail.com
obrigado

Anônimo disse...

Muito 10. De forma resumida vc apresenta as principais idéias e caracteristicas de forma clara e objetiva.

Meyre disse...

Juli eu te amo...esse seu blog está me dando a maior força em meu port. de HA. Valeu...

Mirian Nolacio disse...

acho muito interessante falar sobre a arte neoclassica,pois é nela que se retrata os pintores da epoca mais famosos como exemplo posso dizer o Jean Auguste Dominique Ingres.

LinkWithin

Posts relacionados Posts with Thumbnails